sábado, 20 de janeiro de 2018

O joelho de Kraquinovic


Se houver alguém que tenha o contacto do Nhaga esta será a melhor altura para lhe ligar e pedir uma coisa simples: 

Que aquele mau olhado dragarto que fez com que o joelho do Krovinovic cedesse vá de volta e que tudo não passe de um susto. 

Que craque!! Indispensável no rumo ao Penta. 


sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Estofo de campeão e a morte do 4-3-3



Muitas analises têm sido feitas desde o jogo de quarta-feira e em quase todas se nota uma surpresa pela superioridade evidenciada pelo Benfica frente ao rival da segunda circular.

Poucos comentadores terão acertado no diagnóstico dessa evidência: Está no ADN do Benfica aquilo a que chamamos Estofo de Campeão que não é mais que uma vontade intrínseca de vencer e especialmente um crer nas suas capacidades, uma raça lutadora e uma ambição de vencer.

Há dois anos, a arrancada para o Tri começou precisamente numa derrota copiosa e aviltante contra o mesmo adversário que, perante a reacção dos adeptos, impulsionou a equipa para uma luta sem tréguas contra um rival que todas as semanas jogava contra equipas Bs (estranho ninguém investigar isto) e que fazia rodar o "jogo da mala" por todos os nossos adversários.

Aí, como anteontem na segunda parte, Rui Vitória deixou de ser "professor de ginástica", meteu a sua sapiência, tão do agrado de blogues mais prosélitos e eruditos, num saco e colocou o Benfica a jogar à bola. 

E é aqui que entra a segunda parte do post: a morte do 4-3-3. 

Quando aos 53 minutos e perante um futebol aos repelões, sem eira nem beira, que apenas cria perigo num falhanço do adversário, Rui Vitória muda para o 4-4-2 e a equipa se agiganta sem aqueles passes de merda para trás e para o lado, sem aquela paranóia posicional que pretende replicar o Barça mas que apenas se parece com o Guimarães, decretou a morte do ser 4-3-3.

O Benfica tem de jogar com Jonas e Jimenez lá à frente. O Benfica tem de ser uma equipa de ataque. Ás vezes corre mal? Corre, mas o facto de termos ganho 14 dos ultimos 17 títulos disputados em Portugal demonstra que é capaz de compensar. 

"Ah e tal essa era a táctica do Jesus, o homem tem direito a colocar em prática as suas ideia" é um argumento habitualmente usado. Não meus amigos, o que o homem tem direito é a ter o Marquês cheio de benfiquistas a gritar o seu nome na festa do "penta". 

Pode sempre, depois, escrever outro livro onde se poderá lamentar de ter sido tri-campeão sem conseguir aplicar as suas ideias. 







quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

A vida é mesmo assim.



Final da primavera de 1962. Aquele que é ainda hoje considerado um dos melhores presidentes de sempre do Benfica acha que ser Bi-campeão Europeu não chegava para continuar com o treinador que tão boas provas deu e descartou Bela Guttman. 

Dezembro do ano 2000. Apesar da massa associativa e dos próprios jogadores estarem com o treinador que já nessa altura exalava carisma por todos os poros, Manuel Vilarinho anseia por ver no banco do Benfica o seu amigo das almoçaradas na Adega da Ti´Matilde, Toni e tudo faz para que José Mourinho se despeça do Benfica. 

Primavera de 2015. Luís Filipe Vieira depois de ter (pelos vistos sem saber como) roubado a hegemonia do futebol português aos Andruptos resolve correr com o treinador que lhe permitiu esse feito e substitui-lo por um amigo professor de ginástica, baratinho e sem exigências. 

Hoje, Dezembro de  2017. Depois de ter sido arredado da Champions com a pior classificação de sempre de uma equipa portuguesa, depois de ter sido eliminado da Taça de Portugal, depois de ter ficado praticamente fora da Taça da Liga o stôr Rui Vitória que na véspera tinha dito que atravessávamos "uma boa fase" lamenta-se com a frase: "A VIDA É MESMO ASSIM".

E é mesmo. 

domingo, 26 de novembro de 2017

E ao 21º jogo da época percebemos...


...que, se calhar, não temos uma equipa tão má como se pinta. 


Se colocarmos os melhores a jogar e nas respectivas posições as coisas são capazes de correr bem.

Agora é ir ao antro corrupto e passear a classe do tetracampeão.

Já estão todos borrados.







sábado, 25 de novembro de 2017

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Quem diria que afinal o Rui Vitória acabaria...


...por sair mais caro que Jorge Jesus? 

É como diz o povo: o barato sai caro. 

Verdade que poupámos ordenado num treinador mas a equipa deixou de jogar à bola. 

O que vale é que nos próximos anitos, pelo menos dois - tempo que o presidente já nos condenou a jogar sem treinador - vamos estar livres destas vergonhas.

Agora o importante mesmo é continuar a inovar como fizemos ontem com aquele programa na BTV.

Por exemplo, podíamos assobiar o Hino da Champions no próximo jogo, que acham?

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Alguém tem de assumir...


...responsabilidades por este descalabro.

Rui Vitória não pode ir à conferência de imprensa e falar de que "se cometeram erros que não se podem repetir" dando ideia que tudo não passou de erros individuais. Não foi. A desgraça foi colectiva.

Lembro-me bem de Vigo, isto foi muito pior colectivamente!





P.S. Troco um "chouriço" por um "presunto de Chaves"